PTSims – Campeonato Português Virtual de Velocidade, Assetto Corsa

Partilhe

Campeonato apenas com pistas em Portugal na PTSims.

A ideia de um Campeonato Português Virtual de Velocidade já não é na nova na PTSims, pelo que chegou finalmente a altura de tirar a ideia do papel e metê-la a funcionar no asfalto. Embora não tenha lugar exclusivamente em pistas nacionais, até porque não existem assim tantos circuitos em terras lusas, a ideia mantêm-se com bastante força, sendo apenas feita uma visita à vizinha Espanha (Circuito de Valência) a meio do campeonato para “mudar de ares”. Novidade também é a inclusão de uma rampa num campeonato de circuitos, nomeadamente a conhecida Rampa de Santa Luzia, em Viana do Castelo, que vai ver os pilotos batalharem pelo melhor tempo em duas subidas oficiais, naquilo que será um desafio diferente. De resto, o calendário incluí idas ao Circuito Vasco Sameiro (Braga), que recebe a primeira prova, ao Autódromo Internacional do Algarve (Portimão), ao Circuito Citadino de Vila Real e, por fim, uma passagem pelo vetusto, mas ainda pronto para as curvas, Autódromo Fernanda Pires da Silva (Estoril).

E como um campeonato novidade exige coisas novas, também a máquina escolhida nunca foi, até agora, utilizada na PTSims. Oficialmente lançado pela Kunos no DLC “Tripl3 Pack”, o Praga R1 foi ganhando destaque e assumiu-se como o veículo ideal para esta competição. Faz parte da categoria dos “superleves”, ou seja, carros com peso bastante reduzido e aerodinâmicas refinadas para corridas interessantes, seja em circuito, seja em rampas. Originário da cidade checa com o mesmo nome, o Praga R1 foi concebido em 2013 e conta com um motor Renault de 2 litros capaz de debitar uns interessantes 210 cavalos de potência às 7500 RPM. Se pensarmos que o peso não chega sequer aos 600 kg (585 para ser mais preciso), podemos desde já perceber que estamos perante um veículo bem ágil, de tração traseira com TCS, caixa de 6 velocidades sequencial, pneus Dunlop com três compostos disponíveis (macios, médios e duros) e travões AP Racing sem ABS. Tudo isto fica englobado num chassis em fibra de carbono finalizado com todo o requinte aerodinâmico necessário, incluindo uma asa traseira totalmente ajustável.

As corridas serão de 35 minutos + 1 volta sem paragem obrigatória, pelo que os pilotos podem esperar muita ação e lutas num campeonato monomarca onde a diferença será decidida nos pormenores. Enche a mala de presunto e chouriças, traz umas garrafas de tinto e anda daí percorrer Portugal neste campeonato de velocidade (quase) 100% luso.

Toda a informação aqui.

Inscrições abertas.

Deixe uma resposta